EJ - Escola de Aviação Civil


Quem Somos

Porque formamos os melhores aviadores do Brasil.

Conheça as vantagens de voar na EJ.

Entenda porque a EJ forma os melhores aviadores do Brasil.


01

Porque aqui o aluno voa e navega solo. De verdade.


É a melhor fase para o piloto adquirir confiança e habilidade de gerenciamento da cabine durante o voo. Na EJ, o aluno, ao fim do seu curso de PP, faz cerca de 10 horas de voo solo, inclusive navegações. E no PC a média de horas solo chega a 40. A EJ confia em sua instrução e tem por princípio ministrar suas aulas para que o aluno realmente aprenda e voe. Para nós, o aluno voar e navegar solo é como quando o pai tira as rodinhas de aprendizado da bicicleta do filho. É a liberdade.

Video: Aluno navega solo

02

Porque é certificada ISO 9001: 2008.


A EJ Escola de Aeronáutica Civil é a única escola de aviação do Brasil certificada com os padrões internacionais ISO. Que designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade. A função é promover a normalização de produtos e serviços, para que a qualidade dos mesmos seja permanentemente melhorada. O reflexo é a garantia de um padrão de serviços e melhoria contínua da qualidade.

Video: apresentação

03

Porque oferece o curso de Upset Recovery.


O treinamento de recuperação de manobras inadvertidas, estol avançado, entrada e saída de parafusos melhora muito a habilidade dos pilotos e ajuda a evitar acidentes. A FAA, órgão equivalente a ANAC nos EUA já exige esse curso para instrutores de voo por lá. O treinamento envolve o reconhecimento de situações do estol, a prevenção e a recuperação de parafusos. O curso ainda não é obrigatório no Brasil, mas a EJ recomenda para todos os seus alunos, inclusive para alunos de Piloto Privado e Comercial, não só instrutores.

Video: Upset Recovery

04

O padrão de instrução é de alto nível, e tem, inclusive, o reconhecimento de grandes companhias aéreas como a a Azul Linhas Aéreas, no projeto ASA.


O Projeto Asa é uma iniciativa da Azul Linhas Aéreas para a formação inicial de seus tripulantes, onde a companhia abre vagas para o projeto sempre quando há grande necessidade de contratações de novos tripulantes. O padrão de instrução, pontualidade, evolução contínua de processos e qualidade de formação foram os diferenciais da escolha da EJ pela Azul Linhas Aéreas.


Vídeo: conheça nossos aviões,
simuladores, infraestrutura e saiba
mais sobre a nossa escola

Confira o vídeo


    Mural Informativo


  • EJ FLY IN EXPERIENCE - AMERICANA

    No último sábado, dia 20 de novembro, aconteceu na mais nova base da EJ Escola de Aviação, em Americana, o EJ Experience Fly in.Em uma tarde linda de Sol, o evento contou com a presença de mais de 200 clientes, amigos e parceiros, que tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais a EJ, sua ampla e diversificada frota, sua unidade de Táxi Aéreo e assistir à diversas apresentações com aeronaves e pilotos reconhecidos no cenário nacional da acrobacia aérea. Além do encontro entre aeronautas e entusiastas da aviação, o EJ Experience de Americana marca a retomada dessa modalidade de evento no Brasil e materializa o compromisso da EJ com a Aviação Civil brasileira, em especial, com o seu fomento e com a preparação de profissionais competentes para atuarem nesse mercado tão necessário para o desenvolvimento do nosso país.Esperamos revê-lo, brevemente, em uma de nossas unidades!Voe mais alto!

  • Inscrições abertas para o Vestibular - Pilotagem Profissional de Aeronaves

    Até o dia 26 de novembro de 2021 estarão abertas as inscrições do Vestibular para o curso superior de Pilotagem Profissional de Aeronaves, oferecido pela EJ - Escola Superior de Aviação Civil.A prova ocorrerá tanto em formato presencial, no Campus Itápolis, como por formato EAD - Ensino a Distância, no dia 5 de dezembro, às 13h30. O aluno poderá escolher qual opção deseja. Em caso de mudança nas regras sanitárias definidas pelas autoridades competentes de saúde, todos os candidatos migrarão para a prova na plataforma digital.São 40 vagas oferecidas. Na prova serão avaliadas 50 questões envolvendo conhecimentos gerais das matérias do ensino médio: matemática, física, português, química, história, geografia, biologia e também redação. O tempo mínimo da prova é de 60 minutos e o máximo de 4 horas. O resultado dos aprovados para a turma que inicia no 1° semestre de 2022 será divulgado no dia 15/12/2021. Após isso, os interessados poderão realizar as suas matrículas no curso entre os dias 12/01/2022 e 28/01/2022. Carga horária e início das aulasO curso possui uma carga horária total de 1760 horas e duração de 2 anos. Envolve as matérias técnicas da aviação e outras complementares que garantem uma formação completa do aluno. O início do curso está previsto para o dia 31/01/2022, as aulas ocorrem no período noturno das 19:10 às 22:40 de segunda a sexta, com algumas aulas aos sábados.Volta das aulas presenciaisDevido ao avanço no processo de vacinação em todo país e a respectiva queda nas ondas da pandemia, as aulas estão previstas para voltar ao formato presencial. O custos da mensalidade do curso superior de Pilotagem Profissional de Aeronaves não envolvem os custos de hora de vooPara a formação final dos pilotos é necessário que o aluno também faça os cursos práticos de Piloto Privado e Piloto Comercial. O curso da EJ - Escola Superior de Aviação Civil, não envolve os voos práticos em sua mensalidade básica, deixando à disposição do aluno esta adequação de como e quando ele finaliza a formação.Facilidade para o alunoA Faculdade conta com simulador de voo, laboratório de física, biblioteca e laboratório de informática. Tudo para auxiliar os alunos durante a sua formação. Está localizada no campus da EJ de Itápolis, sendo assim, o aluno pode realizar as aulas práticas de voo durante o dia e comparecer às aulas no período noturno, garantindo assim uma formação completa e diferenciada em dois anos. Durante todo o curso o aluno é preparado também para as provas que devem ser realizadas na ANAC – Agencia de Aviação Civil.Agenda do Vestibular 2022/01 - Data do vestibular: 05/12/2021, formato EAD e presencial;- Inscrições: 20/09/2021 a 26/11/2021;- Divulgação resultado: 15/12/2021;- Matrículas: 12/01/2022 à 28/01/2022;- Início do curso: 31/01/2022.- Provas agendadas de 12/01/2022 a 26/01/2022.Como se inscreverA inscrição será feita pelo site: www.ej.edu.br pela aba "Vestibular".

  • O instrutor de voo que chama seus alunos de “meu Rei”

    No fim de 2013, com 21 anos, Luan Jandir Lima se matriculou na EJ, em Itápolis, no interior de São Paulo. Ele tinha um objetivo: tornar-se piloto de avião. O candidato a piloto veio de Irecê, uma pequena cidade no interior da Bahia com pouco mais de 70 mil habitantes, distante aproximadamente 500 km de Salvador, a capital do estado.Foi uma decisão difícil e não aprovada pela família. Ele frequentava o curso de engenharia na conceituada UFCG - Universidade Federal de Campina Grande. Seus pais prezavam muito por ser uma Universidade pública. “Um privilégio”, comenta Luan.“E eu ia abandonar um curso para me aventurar em algo muito incerto, em um mundo que não se encaixava ao padrão financeiro vivido. De certa forma eles tinham razão. Mas o sonho falou mais alto”.Não havia ninguém da família com origens na aviação. O irmão é engenheiro mecânico, uma irmã é professora de letras na UNEB - Universidade do Estado da Bahia, e outra é esteticista. Seu pai, Jurandi, é músico. “Conhecido na região pelo romantismo de sua seresta”, conta Luan, orgulhoso.A mãe de Luan, Mires, é artesã. Ela faz surpresas para chás de bebês, potes personalizados, tiaras de luxo e cozinha comidas típicas da Bahia em determinados períodos do ano. “É uma cozinheira de mão cheia. Sua especialidade é a moqueca de peixe”, afirmou.“Quando decidi seguir meu sonho, muitos deles me desmotivavam”, relata Luan sobre o que parecia ser uma barreira intransponível. Quem o incentivou foi seu professor de Jiu jitsu, que era piloto de helicóptero.Quando Luan se dirigiu à EJ, ele tinha apenas o dinheiro para o curso teórico de piloto privado, o primeiro curso para quem deseja ser piloto. “Até então ali era o fim da linha pra mim, visto que os demais cursos seriam impossíveis com a nossa situação financeira”.Logo depois do teórico, Luan voltou à Bahia e por lá fez a prova teórica da ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil. Aprovado, seus pais se sensibilizaram e se esforçaram para dar a ele o curso prático de piloto privado, que envolve cerca de 40 horas de voo. “Papai na época havia vendido uns equipamentos de sonorização e tinha um dinheirinho guardado para emergências. Mamãe ajudou como pôde”, conta Luan.Logo ele voltou para a EJ e continuou seu curso. Ao mesmo tempo, sabia que precisava de um emprego para se sustentar e continuar os cursos seguintes. No aeroporto de Itápolis, arrumou um trabalho no quiosque do bar do Aeroclube, enquanto morava em repúblicas com outros alunos. Ele economizava com lazer e qualquer tipo de luxo.Por quase seis anos, Luan trabalhou em diversos empregos no aeroporto, enquanto pagava do próprio bolso o caro curso de piloto comercial. Depois de trabalhar no bar, foi trabalhar na seção de Operações da EJ, onde cuidava da parte de documentações, diários de bordo, cadernetas de voos, conferências de todos os documentos, além de retirar e guardar os aviões dos hangares.Ou seja, um curso que alunos com melhores condições financeiras normalmente fazem em um ano, ele fez em seis. "Você vendo todo mundo entrando nas cias aéreas, meus colegas de turma, e eu lá, ainda puxando avião. Tem que ter foco", conta Luan sobre sua rotina.Formado INVA - Instrutor de Voo, o curso que se faz logo após o curso de Piloto Comercial, Luan arrumou emprego no Aeroclube de Itápolis, onde deu instrução por cerca de 10 meses e acumulou algumas horas de voo. Recentemente foi contratado para ser instrutor da EJ. “Ser instrutor é algo muito gratificante. Poder passar todo conhecimento adquirido ao longo dessa jornada, poder mergulhar e ajudar os alunos a melhorar, e depois desfrutar junto com eles as conquistas”, conta Luan sobre a experiência de ensinar.Agora Luan pretende juntar mais horas de voo para seguir em uma carreira na aviação. O objetivo são as Companhias Aéreas ou a Aviação Executiva.Entre todas as bases da EJ, há cerca de 50 instrutores, mas apenas um deles chama todo mundo de “meu Rei”, uma gíria típica do nordeste da Bahia para se referir a alguém de modo gentil: é o instrutor de voo Luan, conhecido na EJ como “Parangolé”, um apelido inventado pelos alunos, referente a uma banda popular de seu estado.E ele promete uma instrução de voo nos moldes da Bahia. “Seguindo todos os padrões da escola, porém de uma maneira mais descontraída, deixando os alunos sempre motivados e à vontade na cabine”, explica.

Homologação ANAC
Número 051

DOU 03/05/18

Tel.: Itápolis-SP: 55 16 3263-9160 - Jundiaí-SP 55 11 4815-1984

Americana-SP 55 19 3467-4454 - Campo Verde-MT 55 66 3419-4157