Ensino a distância | Cursos EAD | EJ - Escola de Aviação Civil

EJ - Escola de Aviação Civil


Cursos

EAD - Regulamentos de Tráfego Aéreo PPA

(Ensino a distância)


Regulamentos de Tráfego Aéreo PPA - EAD

O Objetivo do curso de Regulamentos de Tráfego Aéreo é ensinar ao aluno todas as regras e normas relativas ao tráfego e espaço aéreo, visando uma correta compreensão das mesmas para realização de um voo seguro, além de estar preparado para realização da Prova da ANAC.

Valor do Curso:
De R$ 500,00 Por R$ 299,00  


Próxima etapa

- Realizar o exame teórico da ANAC (Banca ANAC).


Pré-requisitos

- Recomendado para alunos cursando PPA Teórico ou que estão de segunda época ANAC.


Assuntos

- Autoridades Aeronáuticas

- Aeródromos, regras do ar e de voo

- Serviço de Tráfego Áereo e estrutura do espaço aéreo

- APP, ACC e FIS

- Radar

- Serviços de alerta e informação

- Fraseologia

- Cartas Aeronáuticas

- Plano de voo


Certificado

Certificado de participação do curso.


Valor do Curso:
De R$ 500,00 Por R$ 299,00  


Clique e veja nossa Agenda



Tenho interesse e quero reservar/receber informações


Uma estrutura de apoio de primeira
linha está à sua espera, saiba mais
sobre o que a EJ oferece

Infraestrutura


    Mural Informativo


  • O que fizemos em 2020 e o que esperar de 2021

    Em 2020 houve uma queda na procura por voos em todo o mundo. A pandemia de COVID-19 foi a causa. Já no fim do ano, com uso de máscaras e outras precauções, parte dos voos começavam a retomar. Agora, com o processo de vacinação se iniciando no mundo todo, a tendência é esse processo se acelerar.Na EJ, mesmo não sendo uma empresa de transporte aéreo, onde o risco é menor devido aos aviões serem apenas para instrução, também houve uma queda: voou apenas 20 horas mil em 2020. “Seguindo as recomendações sanitárias, paramos quase todos os voos por alguns momentos, mas alguns não pararam em momento nenhum, como os recheques de pilotos agrícolas”, diz Josué Andrade, diretor da EJ.Oportunidade de repensar manuais e processosMuitos ex-intrutores da EJ já seguiam suas carreiras como aviadores em grandes empresas aéreas. Com a redução dos voos na aviação regular, boa parte deles ficou de licença ou com grandes folgas. Neste momento a EJ aproveitou essa mão de obra especializada para evoluir nos procedimentos internos. “Eles estavam nas companhias aéreas e puderam trazer suas experiências e últimas percepções do mercado para os procedimentos internos”, afirma Edmir Gonçalves, diretor da EJ. “Uma revisão geral em todos os nossos manuais, tanto na questão de qualidade de ensino, como na evolução do que é sempre a preocupação principal da aviação, a segurança, foi importante”, complementou.Novas aulas EADA EJ montou um estúdio de gravação em sua base Itápolis e repensou toda a qualidade das aulas em vídeo. Ex-instrutores que voavam em linhas aéreas, em conjunto com os instrutores atuais, já gravaram mais de 300 horas de aulas, boa parte delas já editadas e na plataforma EAD da escola.“A gente fez uma linha de produção. Conseguimos colocar o foco em regravar tudo com as melhores tecnologias atuais, tanto de imagem, quanto de som. Além disso, os conteúdos foram melhorados. Acredito que a evolução do EAD devido a pandemia vai ficar para sempre.”, afirma Josué Andrade.“Nesse momento que parou tudo, nós buscamos esses profissionais e trouxemos para dentro do estúdio.Inglês, ground school. CRM, RVSM, PBN, curso de comissário… Fizemos tudo que podia somar”, complementou. Nova Unidade Americana-SPA unidade Americana, cidade próxima a Campinas, já está em pleno funcionamento, mas devido aos voos de formação não terem retomado ainda em sua capacidade total, sua operação ainda não atingiu a capacidade máxima. “A ideia é ser mais uma opção para os aviadores. É é uma área de voo menos burocrática e os alunos podem aproveitar mais suas horas de voo”, afirma Gonçalves.“Vamos ver como ficam as recomendações sanitárias, mas a ideia é fazer uma pequena inauguração formal, respeitando distanciamento social, no fim de janeiro”, diz Josué Andrade.Melhorias na frotaCom a demanda de voos retraída, alguns aviões puderam ser retirados da frota de voos do dia a dia. “Os aviões sempre estiveram em estado de excelência na manutenção, mas com menos voos, os próprios mecânicos sugeriram trabalhar em outros pontos, como melhorias em estofamento, acabamento interno e novas ideias de pinturas”, afirma Josué Andrade.EJ Taxi AéreoUma empresa do grupo que fortaleceu em 2020 foi a EJ Taxi Aéreo. “Melhorou em todos os seus aspectos. Muitos voos foram necessários até para que poucas pessoas viajassem por vez, seguindo as recomendações gerais”, afirma Josué.Além disso, houve nova formação de pilotos para o Taxi e sistematização mais consistente, maximizando o uso das aeronaves. “Com tudo informatizado, os procedimentos melhoraram, minimizando possíveis atrasos nas operações e reduzindo os preços”, complementou.Simulador A320 na EJ-ESAC - Escola Superior de Aviação CivilO simulador de Airbus A-320 foi modernizado e transferido para a Faculdade EJ, assim integrando no curso as noções de gerenciamento de cabine, entre outras necessidades do mercado. “Nossa proposta, desde o início, foi fazer mais do que o exigido pelo MEC (Ministério da Educação), e agora melhoramos mais o curso, colocando partes integrantes da formação de um piloto de linha aérea direto na faculdade. Gerenciamento de cabine, juntamente com um inglês reforçado, é essencial para a formação de um bom aviador”, diz Josué.O que esperar de 2021?Com os avanços na vacinação e tratamentos em estudo, é muito provável que os voos voltem a algo próximo ao normal já no segundo semestre. “As aulas em EAD, gravadas ou ao vivo, se tornarão parte integrante do ensino, como apoio, mas quando falamos em aviação, nada supera as aulas com os alunos sentindo o cheiro de gasolina e querosene”, afirma Andrade.

  • Lista dos Aprovados para o Curso de Pilotagem Profissional de Aeronaves - 2021

    A EJ Faculdade de Tecnologia em Aviação Civil divulga abaixo a lista (em ordem alfabética) dos APROVADOS no processo seletivo do Curso Superior de Pilotagem de Profissional de Aeronaves para o primeiro semestre de 2021, realizado no dia 06/12/2020:- Alberto de Paula Edwards Neto- Antonio Henrique Teodoto Agudo- Bruno Gonçalves Tapparo- Enzo Braga Nonaka Domingos- Felipe Ruan Rezende Pontes- Fernanda Aimee Lins- Gabriel Augusto Bartholomeu- Gabriel Brocco Dalla Bernardina- Gabriel Castilho Rossi- Gabriel Flach Prates- Gabriel Gamas Giuntini- George Benevides Jorge Junior- Giulia Dótele Pandolpho- Giulianna de Sousa Rodrigues- Guido Dantas Neto- Guilherme Silva e Souza- Heloisa Fernanda Zaczeski- Igor Rafael Valavares Prestes- Isabelle Santos de Alencar- Thiago Marquito Figueiredo- Jairo de Carvalho Santos Neto- João Gabriel Araújo Soares- João Vitor Ferreira Mizubuti- José Henrique de Lima Freitas- Juan Caio Paronitti Galera- Leonardo Spulverato Macedo- Lucas Jorge Prevelatto- Lucas Oliveira Resende Yancovitz- Marco Antonio Muniz- Mohammad Eyad Al Shehaded- Omir Ienne Inglês de Sousa- Rafael Baungart- Rafael Bezerra Barros- Sophia Leite Kurgan- Thiago Heloizio Raggio de Araújo Gonçalves- Victória Beraha de Mello Rodrigues- Vitor Hugo Vicente Bronzato* Os candidatos que foram reprovados no vestibular não aparecem nesta lista. Aos aprovados, as matrículas serão realizadas entre os dias 14/12/20 a 18/12/20, e de 04/01/21 a 28/01/2021. Fiquem atentos, pois havendo vagas remanescentes, será aberta segunda chamada do vestibular e provas agendadas em janeiro/21.Os documentos exigidos para a matrícula deverão ser enviados para o e-mail da Secretária Acadêmica secretaria.academica@ej.com.br digitalizados no formato PDF. São eles:- Certificado de Conclusão do Ensino Médio ou equivalente;- Histórico Escolar de Conclusão do Ensino Médio ou equivalente;- Prova de quitação do Serviço Militar ou Certificado de Alistamento Militar, se do sexo masculino;- Certidão de Nascimento ou Casamento;- Título de Eleitor com comprovante de votação da última eleição;- Duas fotos 3x4 recentes;- Cédula de Identidade:- CPF.Parabéns aos aprovados. Bons voos.

  • Formada a primeira turma da Faculdade EJ

    “O curso foi muito bom. Claro que éramos a primeira turma e muitas coisas ainda estavam em adaptação. Foi uma quebra de paradigma dentro da própria EJ, que teve que se preparar para oferecer um curso superior”, afirma Ricardo Miranda, 38, do Rio de Janeiro. Ele é um dos 15 alunos que iniciou o curso no segundo semestre de 2018 e acabou de se formar na EJ - Escola Superior de Aviação Civil. Para Ricardo, a faculdade de aviação foi uma vontade antiga que foi sendo adiada. É a segunda faculdade em que se formou. Ele cursou engenharia na CEFET/RJ, um centro de Educação Federal de alto conceito e especializou-se na British Columbia Institute of Technology, no Canadá. “Eu sempre quis ser piloto comercial, desde adolescente, mas minha família não podia arcar com os custos das horas de voo. Eu cheguei a fazer a banca do DAC quando tinha 18 anos, mas depois acabei parando o curso porque não consegui voar”, afirma.Ricardo já soma 230 horas de voo, sendo 31 horas solo. Paralelamente à Faculdade, fez os cursos práticos, do piloto privado ao comercial, entre outras especializações, como INVA - Instrutor de voo. “O fato de poder fazer as aulas práticas enquanto estuda é muito bom. Sair do voo e ir direto pra aula me ajudou a completar tudo em dois anos”, afirma.Quem também viu vantagens em possuir tanto a parte teórica como a prática no mesmo Campus foi Marcello Manno, 20, de Atibaia-SP. “O aluno não perde contato com os aviões ficando só na teoria”, explica. Marcello já possui 160 horas totais, com cerca de 25 em voos solo.Uma formação teórica mais sólida do que a dos pilotos comunsAlém das aulas de Filosofia, Matemática e Língua Portuguesa, que são partes essenciais de qualquer curso superior aprovado pelo MEC - Ministério da Educação, os alunos tiveram oportunidade de se aprofundar no ensino teórico. “Um exemplo bom é em segurança de voo. No curso teórico comum falam bastante sobre CRM (Crew Resource Management), mas de modo bem superficial. Na faculdade tivemos uma matéria específica sobre isso, e deu para aprofundar muito bem no assunto”, afirma Marcelo Grohmann, 21, de Lutécia-SP, que já possui 202 horas de voo, com 40 horas em voos solo e conseguiu uma oportunidade de dar aulas de navegação no curso normal de piloto privado na própria EJ enquanto fazia o curso superior.“A bagagem que tivemos nas matérias que nos passaram foi além do que era cobrado na banca para se tornar piloto, até mesmo tivemos aulas de inglês voltado à aviação nos dois últimos semestres”, complementa Grohmann.“Um curso superior tem outras matérias que fazem os alunos aprenderem a raciocinar, tomar decisões, melhorar os aspectos da comunicação e postura. E na parte técnica, como estudamos vários assuntos a fundo, é um diferencial tanto para o nosso próprio voo, quanto para uma possível seleção” diz Ricardo Miranda.“A sinalização para o mercado acho importante. Só o fato de você se propor a passar por um processo, ficar um tempo se dedicando, sinaliza que você é alguém diferente. Acho que também por isso a faculdade é um diferencial na aviação. Mas também não basta ser qualquer faculdade. Nosso curso foi muito bom por isso. Tivemos ótimos professores e acho que isso nos deu uma boa base. Agora é aprimorar e nos mantermos sempre atualizados”, afirma Daniel Casimiro, que já possui 140 horas de voo, de Ibitinga-SP, cidade vizinha a Itápolis. Casimiro é um dos poucos que não morou em Itápolis. Ele ia e voltava de Ibitinga e manteve-se trabalhando com criação de cavalos, negócio da família.Mulher voa, simEsta turma contou com duas mulheres, uma delas foi Lany Amorim, 24, de Barretos-SP. “Sempre tem um pessoal meio ignorante, mas isso não me atinge”, afirma. “Já escutei comentários como ‘se eu souber que a piloto é mulher, eu nem voo’. O pai de um amigo comentou perto de mim. É ridículo. Mas na EJ é bem diferente, o pessoal me acolheu mesmo”, complementa Lany, que divide um casa em Itápolis com outra aluna, do segundo semestre, e trabalha em Home Office na loja online de Aeromodelos de seus pais.Lany iniciou o curso de Piloto Privado no Aeroclube de Barretos e seguiu para a EJ, onde finalizou o PP. Agora ela já está com 57 horas de voo, cursando Piloto Comercial prático.Além de Lany, outro que manteve-se conciliando a faculdade com o trabalho foi Ricardo Miranda. Ele manteve sua atividade em engenharia consultiva em Home office enquanto voava e estudava. Miranda ainda encontrou tempo para fazer alguns voos mais longos. “Fiz umas navegações bacanas, como Belo Horizonte e Foz do Iguaçu”, afirma.Tempo de retração na aviaçãoA primeira turma terminou em um momento onde a aviação mundial está represada, devido a pandemia de COVID-19, que ainda perdura. “Mas uma hora a aviação vai voltar e vai precisar de profissionais, o mundo sempre passou por turbulências e sempre evoluímos”, afirma Josué Andrade, diretor da EJ.“E vai ter muita oportunidade, pois apenas como exemplo, o mercado de turismo que faturou mais de 136 bilhões de reais em 2019, e que respondeu por 8,1% do PIB brasileiro, está afoito para voltar. Esse mercado que impulsiona as viagens aéreas nacionais e internacionais”, complementa Luiz Lopes, coordenador do curso.“Acho que o diploma vai acabar sendo sim importante, mas independente se vão pedir ou não numa linha aérea, o curso valeu. Eu acho que a gente acabou ganhando conhecimento que muito provavelmente não veríamos nos cursos teóricos”, afirma Antonio Jorge, 21, de Boa Vista, Roraima, que fazia parte da equipe de monitoria da faculdade, ajudando outros alunos em aulas de reforço. FormandosAntonio Jorge de Souza NetoAntonio Mario RinaldiBruno CartolanoDaniel Martins CasimiroEduardo Pierobon PlastinaEmanuel de Aguiar DuarteIsadora Broseghini CostaLany Caroline Amorim Rodrigues Luis Fernando dos Santos Farias da Silva Marcelo José Simões Grohmann Marcelo Manno de Oliveira Nilson Marcos de Oliveira Dorta Junior Rafael Lourenço de Castro SantosRicardo Miranda RodriguesWeslley Munhoz CardosoA EJ deseja boa sorte e bons voos os aviadores e aviadoras formados na primeira turma da EJ - Escola Superior de Aviação Civil.Próximo vestibularO próximo vestibular ocorrerá em 6 de dezembro de 2020. As inscrições ocorrerão entre outubro e novembro.

Homologação ANAC
Número 051

DOU 03/05/18

Tel.: Itápolis-SP: 55 16 3263-9160 - Jundiaí-SP 55 11 4815-1984

Americana-SP 55 19 3467-4454 - Campo Verde-MT 55 66 3419-4157