EJ - Escola de Aviação Civil


Notícias

De volta ao aeroporto de Guarulhos, agora do outro lado

Fábio com um dos Cessnas da EJ.


Quando criança ficava nas janelas do aeroporto de Guarulhos, de frente para o pátio, olhando a movimentação dos grandes jatos comerciais. Ir ao aeroporto era o pedido corriqueiro que fazia ao seu pai. Eles saiam de Ribeirão Pires, na região metropolitana de São Paulo, para irem ao programa favorito do filho. “Sempre tive um fascínio absurdo por aviação”, conta Fábio Luiz Rossi Júnior, 23, instrutor da EJ recentemente contratado para ser copiloto de Airbus na Latam. “Ficava ali por horas”.

Enquanto cursava o colegial, antes da maioridade, fez os teóricos intensivos, aos fins de semana, de piloto privado, no Aeroclube de São Paulo. Terminado o ensino médio, passou no concorrido vestibular na Unifesp - Universidade Federal de São Paulo, para o curso de Engenharia do Petróleo e encontrou-se em uma situação de escolha: seguir seu fascínio de infância e adolescência ou o concorrido curso que garantiria bons salários. “Veio o dilema entre engenharia ou seguir com pilotagem, e a vocação e o estilo de vida falaram mais alto”, relembra Fábio que logo se inscreveu na Anhembi Morumbi, universidade particular, no curso de Aviação Civil.

A escolha pela aviação foi incentivada pelo pai, promotor de justiça, e pela mãe, professora de biologia. “Achavam bem diferente”, explica. Ele escolheu a EJ Jundiaí para fazer seus cursos práticos e começou a voar um mês antes de completar 18 anos de idade. “Fui direto pra EJ pela oportunidade de realizar a seleção pra INVA. Sabia que lá, me formando, teria a oportunidade de ser instrutor”.

Dois anos depois estava formado piloto comercial e ainda terminava a faculdade na Anhembi, que dura três anos. Neste tempo tentou alguma função de solo em alguma companhia aérea, o qual não conseguiu e resolveu trabalhar em uma loja da rede Outback, como garçom e barman. “Era bem dinâmico e me ajudou muito a aprender a lidar com pessoas bem diferentes umas das outras, o que acabou de ajudando muito na instrução”, explica.

Após pouco mais de dois anos e meio na fila para ser contratado instrutor da EJ, iniciou na função, voando os Cessnas 152 e 172, e dando aulas em simuladores de voo, onde atuou por cerca de um ano e meio e acumulou 800h de voo de experiência. “Ser instrutor agrega muita coisa na nossa pilotagem, nosso gerenciamento otimiza demais, consciência situacional, empatia e feedback em relação ao aluno. Creio que seja uma etapa muito proveitosa pra quem almeja uma linha aérea. Exige muita paciência, calma, empatia e didática”, explica Fabio que se lembra do seu primeiro voo como instrutor. “Minha primeira hora dando instrução no EJT (prefixo de um Cessna 152 da EJ), aeronave da minha PS01. Foi realmente um voo que mexeu comigo, foi meio onde caiu a ficha de que eu tinha conseguido chegar onde queria ate o momento, sabe?”.

Aos 23, entra na Latam, e seu treinamento inicia-se logo no início do próximo mês. “A expectativa é imensa, meu sonho sempre foi linha aérea, comercial, passageiro. Eu estou muito ansioso e feliz de iniciar o ground”.

Como vai ser quando estiver no aeroporto de Guarulhos, operando um Airbus, e reparar em uma criança olhando o pátio pelas janelas? “Vai ser uma viagem no tempo em que eu vou me ver ali”.

A EJ agradece a Fábio pelo tempo dedicado ao ensino e deseja boa sorte em sua carreira aeronáutica.

Publicado em 01/10/2018


Vídeo: conheça nossos aviões,
simuladores, infraestrutura e saiba
mais sobre a nossa escola

Confira o vídeo

Homologação ANAC
Número 051

DOU 03/05/18

QUALIDADE
ISO 9001:2008

Tel.: Itápolis-SP: 55 16 3263-9160 - Jundiaí-SP 55 11 4815-1984

São Paulo-SP 55 11 3459-5233 - Campo Verde - MT 55 66-3419-1510