EJ - Escola de Aviação Civil


Notícias

Falta de combustível atinge operações de voo na EJ

Fale conosco. Nos envie uma mensagem no WhatsApp: https://wa.me/551632639160


Desde meados de 2018, a Petrobrás paralisou o refino de combustível de aviação (AVGAS) em Cubatão – SP. Os efeitos desde então são sentidos pelas operações de diversos operadores, e também pela EJ. Com a monopolização do segmento, e sem a refinaria operacional, todas as distribuidoras foram afetadas. Além da falta do combustível, os preços subiram, e há cota limite por aeronaves em muitos lugares com a recorrente falta.


Nos primeiros lotes importados ainda, a Petrobras teve problemas alfandegários para desembaraçar o primeiro lote importado, problema este solucionado apenas dias depois. Enquanto isso, a EJ que voa mais de 3.000 horas por mês em suas bases são assoladas mais uma vez com a aparente incúria.


A Associação de Pilotos e Proprietários de Aeronaves – AOPA Brasil ainda comentou em nota que fontes do mercado informaram que a parada no refino de AVGAS duraria apenas alguns meses, por motivo de manutenção que ainda não acabou. Na realidade, continua em nota, ‘há informações de que a produção de AVGAS sequer volte a ocorrer e o mercado continue sendo suprido exclusivamente por importação’. A associação ainda cita que supostamente há desinteresse da Petrobras, em manter as áreas em Santos – SP, ocupadas para armazenagem de AVGAS que atende entre outras localidades, as bases Jundiaí e Itápolis da EJ. Sem ela, o combustível ainda não tem local definido de armazenamento. 


A falta que afeta cerca de 11.000 aeronaves é fatal para o mercado. Além de afetar as operações da EJ, a falta afeta também aeronaves que transportam pessoas e bens, ligando mais de 2.500 campos de pousos, inclusive que atendem a comunidades remotas. Para piorar, a falta ainda afeta o agronegócio, que depende da pulverização das lavouras por meio de aeronaves agrícolas movidas pelo combustível. 


De acordo com a AOPA, até mesmo a instrução básica da Academia da Força Aérea será interrompida sem que haja combustível disponível no mercado. Em dezembro de 2018, a TV Tem (afiliada regional da TV Globo) esteve na EJ Itápolis para relatar os problemas existidos. Há época, alunos e instrutores foram afetados com mais de 10 dias sem combustível para manter as operações. Para amenizar os prejuízos dos alunos, a EJ cede o alojamento sem cobranças adicionais nos dias de falta.

A EJ Escola de Aviação se coloca à disposição de todos os alunos para demais esclarecimentos, e está se empenhando ao máximo para que mesmo sob fatores externos, haja o mínimo de prejuízo aos alunos. 

Att,

A Direção.

Publicado em 14/05/2019


Vídeo: conheça nossos aviões,
simuladores, infraestrutura e saiba
mais sobre a nossa escola

Confira o vídeo


    Mural Informativo


  • Faculdade EJ: inscrições para o vestibular abrem a partir de outubro

    As inscrições para o Vestibular da EJ - Escola Superior de Aviação Civil, abrem a partir de 7 de outubro de 2019. Ela se prorroga até dia 22 de novembro com a prova de admissão sendo dia 1/12/19.O vestibular refere-se ao ano letivo de 2020. O edital e as inscrições para prestar o processo seletivo estarão disponíveis a partir do dia 7 de outubro através do site:www.ej.edu.br/vestibular

  • EJ abre sua quarta base de voo em Americana-SP

    A EJ Escola de Aeronáutica Civil, a maior escola de aviação da América Latina, iniciou operações nesta segunda, 2 de setembro, em sua nova unidade em Americana, interior de São Paulo, cidade com 233 mil habitantes pertencente a região de Campinas, que compõe 18 municípios e uma população total de cerca de 3 milhões de pessoas. A base funcionará em um hangar no aeroporto municipal, com 1500 m2, 6 salas de aulas, simuladores de última geração, e deverá manter uma frota média de 12 aeronaves.É a quarta unidade de ensino prático da EJ, escola que possui mais de 60 aeronaves e milhares de alunos formados atuando em companhias aéreas, aviação executiva e agrícola. A sede, em Itápolis, foi fundada em 1999, a segunda unidade inaugurada foi em Jundiaí, em 2008, e a terceira em Campo Verde, Mato Grosso, em 2015.A unidade Americana já inicia completa para formação de pilotos para a aviação executiva e de linha aérea, onde oferecerá cursos desde o piloto privado ao piloto comercial, entre diversas especializações, como o curso instrutor de voo e de voo por instrumentos. “Todas as nossas unidades são completas na formação dos cursos para pilotos profissionais. Itápolis e Campo Verde, além da formação destes cursos, oferece o ensino voltado para setor da aviação agrícola, com formação inicial em aviões convencionais”, afirma Josué Andrade, diretor da EJ.O investimento na EJ Americana é reflexo da confiança ressurgindo no mercado aeronáutico, como a anunciada taxa de ocupação da GOL Linhas Aéreas Inteligentes, a maior companhia aérea doméstica nacional, que chegou a 85,3% em julho deste ano, um crescimento de 2,2% em relação a julho de 2018, além da recém anunciada contratação de cerca de 1500 tripulantes pela Azul Linhas Aéreas nos próximos anos, companhia que anunciou incremento de 33 aeronaves em sua frota. “O mercado aeronáutico geralmente é o prenúncio do que ocorre na sequencia com a economia em um todo, essa taxa alta de ocupação e novas contratações são sinais de bons momentos no horizonte”, afirma Edmir Gonçalves, diretor da EJ.FaculdadeUm dos planos futuros é a implementação da EJ Escola Superior de Aviação Civil também na unidade Americana. “Estamos avaliando com o MEC (Ministério da Educação) essa possibilidade, o curso de nível superior é oferecido neste momento apenas em na sede, em Itápolis. A região de Campinas é conhecida por grandes universidades como a Unicamp e PUC, e tem muita demanda de alunos buscando formação universitária também no ramo aeronáutico. E este currículo tem sido muito valorizado pelas companhias aéreas na hora de selecionar aviadores”, afirma Josué Andrade, diretor da EJ.DiferenciaisA EJ é uma das poucas no Brasil que cumprem à risca o regulamento da ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, e autoriza seus alunos a voarem solo, inclusive em navegações, mesmo durante o curso de piloto privado. “Nós confiamos na nossa qualidade de ensino e no padrão de pilotagem dos treinamentos. Se um aluno termina seu curso de piloto sem ter voado, e principalmente navegado sozinho, ele é apenas um meio piloto. Isso, por sí só, já é um imenso diferencial em relação as escolas da região”, afirma Andrade. “Outros diferenciais na pilotagem são os cursos de Upset Recovery, essencial para um aluno dar um passo a frente em relação a segurança de voo, e o RNAV, já junto com o curso de voo por instrumentos”, afirma Josué Andrade.EJ AmericanaA nova unidade deve gerar cerca de 20 empregos diretos inicialmente, com tendência de aumento por causa da demanda, e contou com o apoio administração municipal. “A população nos acolheu muito bem na cidade, ela e o prefeito Omar, que está sabendo aproveitar muito bem o potencial deste aeroporto tanto na geração de empregos como para o prestígio da cidade. No ponto de vista aeronáutico é um aeroporto com excelente infraestrutura para a aviação geral e bastante próximo de Campinas, o que facilita em muito as aulas práticas para pilotos comerciais, onde os alunos voarão para lá para fazer seus treinamentos de aproximação por instrumentos, maximizando a qualidade suas horas de voo”, afirma Edmir Gonçalves, diretor da EJ.

  • Clientes ganham desconto em compras pelo chat ou canal Whatsapp

    A EJ fornece facilidades para quem busca informações sobre cursos ou compras pelo chat ou pelo nosso canal do Whatsapp.Em compras realizadas por esses canais, os clientes recebem desconto em até 15% dependendo do curso, além de possibilidades de parcelamento. Consulte.Canal WhatsappO Chat Online EJ você encontra pelo ícone à direita no fim desta página.

Homologação ANAC
Número 051

DOU 03/05/18

QUALIDADE
ISO 9001:2015

Tel.: Itápolis-SP: 55 16 3263-9160 - Jundiaí-SP 55 11 4815-1984

Campo Verde - MT 55 66-3419-1510