EJ - Escola de Aviação Civil


Notícias

Com previsões positivas do mercado, EJ Jundiaí contrata quatro novos instrutores de voo

Da esquerda para a direita: Luiz, Bruno, Fábio, Fabricio


A unidade Jundiaí da EJ contratou quatro novos instrutores para integrar seu quadro. As admissões de novos colaboradores visam repor os instrutores mais experientes recém contratados por companhias aéreas, além de ser um investimento no otimismo do setor, com boas previsões do mercado aeronáutico. “Há um momento de otimismo no mercado e nós precisamos contratar instrutores, primeiramente na unidade Jundiaí, e logo mais nas outras unidades”, afirma Josué Andrade, diretor da EJ.

Os novos instrutores iniciam ministrando aulas de voo nos Cessnas 152, para os cursos de Piloto Privado e Piloto Comercial, em voos visuais, e seguem adquirindo experiência para evoluir de aeronaves, até ministrarem aulas de voo por instrumentos e aeronaves multimotoras, como o Seneca. “Antes de começarem os voos na prática com alunos, fizeram uma longa readaptação, pois muitos deles terminaram seus cursos de instrutores há algum tempo, aguardando na fila de contratação. E começam com as aulas mais básicas para ganharem experiência”, afirma Renan Rocha, diretor operacional da unidade Jundiaí da escola.

Conheça os instrutores contratados:

Fábio Kenji Mendes, 22, é de Curitiba, Paraná. Tem 410 horas de voo. Fez sua graduação em Ciências Aeronáuticas na Universidade Tuiuti do Paraná, e o curso de piloto privado na Aerocon, também em Curitiba. Seguiu para a EJ para fazer o curso de piloto comercial e outras especializações como Jet Training e Acrobacias Aéreas, além do curso de instrutor de voo. O pai foi o grande incentivador, que o levava para observar aeronaves no aeroporto da cidade quando criança. “Comecei a me interessar pela aviação e decidi seguir nessa área”, conta.

Tem o objetivo de chegar à linha aérea. A instrução é um modo de “ganhar experiência e contribuir o máximo no aprendizado dos alunos. Ensinando também se aprende“, explica.


Fabricio de Oliveira Morais Lima, 28, é de Itapeva, interior de São Paulo. Fez todos os cursos de pilotagem na EJ, do piloto privado ao curso de instrutor de voo, além do Jet Training. Possui 240 horas de voo, é bacharel em Sistemas da Informação pela FAIT (Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva).

“Acredito ser uma etapa essencial na carreira de qualquer piloto”, resume Fabricio, que pretende ir para a linha aérea, sobre a experiência de ser instrutor de voo.

Como começou a relação com a aviação? “Quando eu tinha uns 5 anos, teve um show aéreo na cidade com a presença da esquadrilha e vários pilotos civis, e eu fiquei impressionado com os aviões fazendo acrobacias, e a partir desse dia eu queria ser piloto para poder fazer acrobacias um dia. Então meu pai é o culpado”, diverte-se.


Luiz Henrique Sobreira de Sousa, 26 anos, é de São Paulo, Capital. Possui 300 horas de voo. Seu pai começou a levá-lo ao aeroporto quando era pequeno. “Aí comecei a gostar”, relembra.

Graduou-se-se em Aviação Civil na Universidade Anhembi Morumbi. Lá conheceu a EJ através de amigos. Fez todos os cursos na Unidade Jundiaí da escola, desde o piloto privado até o curso de instrutor de voo. Fez pós graduação em Segurança de Voo também na Anhembi Morumbi. Durante a fase que será instrutor pretende “adquirir mais experiência, assim como horas de voo, e poder aprender mais com os voos, com os alunos”, afirma Luiz, que pretende ir para a linha aérea, que é seu sonho.


Bruno Colombo, 31, é de São Paulo, capital. Formado em Administração de empresas pela FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado, fez os cursos teóricos na EWM, em São Paulo e todos os cursos práticos na EJ Jundiaí, logo após se graduar na faculdade.

Foi incentivado pelo pai, piloto privado, o gosto pela aviação. Logo após formado aviador, descobriu uma oportunidade de fazer voos panorâmicos nos EUA, para uma escola de aviação local, onde adquiriu cerca de 80 horas de voo de experiência, levando turistas para voar sobre a costa oeste.

Ao voltar para o Brasil depois do fim do visto de trabalho, atuou novamente na administração de empresas e logo na sequência buscou uma oportunidade de se manter em contato com a aviação e foi contratado pela EJ Unidade São Paulo para ser instrutor teórico. Agora foi transferido para ser instrutor teórico e prático da Unidade Jundiaí, além de manter aulas teóricas em São Paulo. Possui hoje 315 horas de voo. “Meu sonho e expectativa de vida é seguir na aviação comercial”, afirma.

Seu pai fez o curso de piloto privado em 1985. “Só que ele não conseguiu seguir com o curso de piloto comercial, ficou apenas o de piloto privado, como hobby, por conta de uma limitação na visão além do limite para ser piloto de linha aérea, então eu tenho como principal objetivo, desafio, alcançar esse sonho do meu pai, que hoje já é falecido, e não conseguiu”, afirma Bruno, emocionado. “Eu estou seguindo esse sonho que vem desde criança. Meu primeiro voo foi de Paulistinha na barriga da minha mãe quando gravida em um dos seus voos solos”.

Publicado em 07/11/2018


Vídeo: conheça nossos aviões,
simuladores, infraestrutura e saiba
mais sobre a nossa escola

Confira o vídeo

Homologação ANAC
Número 051

DOU 03/05/18

QUALIDADE
ISO 9001:2008

Tel.: Itápolis-SP: 55 16 3263-9160 - Jundiaí-SP 55 11 4815-1984

São Paulo-SP 55 11 3459-5233 - Campo Verde - MT 55 66-3419-1510