EJ - Escola de Aviação Civil


Notícias

Editorial: EJ adquire um Super Decathlon, contrata mais um instrutor, e entra definitivamente na acrobacia de precisão em 2018


A EJ adquiriu um Super Decathlon, aeronave homologada para acrobacia aérea, e está iniciando o processo de sua importação e nacionalização. Com este passo a EJ pretende entrar definitivamente no ponto mais alto do treinamento da modalidade: a acrobacia de precisão.

Os primeiros passos na implantação da cultura da acrobacia aérea na EJ ocorreram há alguns anos. Iniciou-se com a implantação do curso de Upset Recovery, que utiliza técnicas da acrobacia aérea com o objetivo de aumentar a segurança de voo. O curso trabalha com o estudo e execução de algumas manobras acrobáticas, em especial o parafuso. Este treinamento é recomendado no Brasil pela ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, e nos EUA pela FAA - Federal Aviation Administration.

Com o Upset Recovery a EJ treinou dezenas de alunos que tiveram a oportunidade de diferenciar seu currículo. Este curso que é visto com muito bons olhos pelas companhias aéreas e outros ramos da aviação, como a executiva e agrícola. Além disso, com este curso no currículo, a EJ também teve a oportunidade de melhorar a segurança de voo em seus voos de instrução dando preferência na contratação de instrutores que concluíram este treinamento.

Nos EUA, a FAA exige o treinamento de entrada e saída de parafusos para habilitar um piloto apto a ser instrutor de voo. Isso ainda não é exigido no Brasil pela ANAC, e portanto, a EJ pode dizer que adiantou-se, internamente, em relação à regras brasileiras.

Junto com o Upset Recovery, foi implantado o curso de acrobacia aérea clássica, também nos nos Cessnas 152 Aerobat, aeronave homologada para o fim. Nestas acrobacias, a EJ teve a oportunidade de ministrar apenas o básico pois o Aerobat não sustenta voos invertidos, além de ter apenas 115hps de potência.

O processo de implantação da acrobacia de precisão seguiu com a formação da Juliana Fraschetti, instrutora da EJ, em aeronaves experimentais não homologadas. Ela foi formada por instrutores experientes em competições no RV-7 da EJ. O incentivo e busca de conhecimento seguiu-se com seu patrocínio em competições, onde ela sagrou-se, agora em 2017, a primeira campeã de acrobacias no Brasil em 76 anos. A pioneira, e campeã anterior, foi Joana Castilho, que venceu uma competição organizada na “Semana da Asa” de 1942.

Agora, com o Super Decathlon, a EJ tem a oportunidade ensinar a acrobacia de precisão. O avião, com 180hp de potência, passo de hélice, alimentação de combustível para voos no dorso e limites para 6gs positivos e 5gs negativos, tem desempenho suficiente para voar até três categorias do campeonato brasileiro, com possibilidades o suficiente para ser competitivo nas categorias Básica e Esporte, e com desempenho um pouco inferior, na categoria Intermediária.

“Se o aluno aprende o avançado de aerodinâmica, a entrar e sair de parafusos, treina o básico da acrobacia, ele já se torna um aviador mais seguro, e se ele gostar da atividade, o melhor caminho é ele seguir para a acrobacia de precisão, que é uma atividade muito segura. Nós vamos incentivar esse treinamento e estimular nossos alunos a participarem das competições. Nossa ideia é, inclusive, formar equipe e até patrocinar os alunos com melhor desempenho, nós queremos formar campeões”, afirma Josué Andrade, diretor da EJ. “Quem deseja manter a prática porque gostou, a evolução natural é a acrobacia de precisão”, complementa.

Além da incorporação do Super Decathlon à frota, a EJ contratou o instrutor de voo e de acrobacias Pedro Anunciação, que fará dupla com Juliana Fraschetti na instrução acrobática. Pedro, na competição em que Juliana sagrou-se campeã, qualificou-se em segundo lugar. “Agora, além da campeã, nós temos o vice em nossos quadros. Nosso objetivo sempre é oferecer uma instrução altamente qualificada em cada um dos ramos do ensino aeronáutico da escola”, afirma Antonio Andreoli, instrutor chefe da EJ. “Além do ensino das manobras e aerodinâmica do voo, eles já vão abordar as regras de competições durante o curso”, complementa.

“A disciplina e a busca pela precisão necessárias para a acrobacia de competição fazem com que você acabe desenvolvendo uma consciência situacional e uma intimidade maior com o avião em todos os cantos do envelope de voo, e inclusive em alguns pontos fora dele”, afirma Christiano Oliveira, comandante de Embraer 195 e vice presidente da CBA - Comitê Brasileiro de Acrobacia e Competições Aéreas, entidade organizadora do campeonato Brasileiro. “Quando levado este conhecimento para a aviação profissional, te traz mais conforto em situações marginais e mais eficiência nas operações normais, fazendo com que você se sinta mais seguro e ciente do seu voo”, complementa.

Como funciona o campeonato
As competições ocorrem dentro de um box acrobático, que é uma caixa virtual de 1km cúbico, onde o piloto desenha as manobras em sequência. Nas categorias Básica e Esporte, a low line, altitude que o piloto deve interromper as acrobacias, é de 1500 pés. Na categoria intermediária é um pouco mais baixo: 1200 pés. “Não é um campeonato para saber quem é piloto o mais ousado, assemelha-se mais a um jogo de xadrez no ar, onde o piloto precisa seguir sua sequencia, ter um bom posicionamento no box, sem inventar manobras, e com grande altura e folga, para interromper seu voo por qualquer motivo com muita margem de segurança”, afirma Josué Andrade.

Os pilotos devem manter o foco em desenvolver no céu os ângulos corretos, como uma parada de um parafuso na proa correta, um looping redondo, sem segmentações, ou subidas e descidas nas verticais. Cada 5 graus de erro, ou segmentação de arcos, o piloto perde um ponto, contabilizado por juízes que ficam no solo.

Os desenhos das manobras são do Catálogo da FAI - Fédération Aéronautique Internationale, com sede na França, que desenvolve as regras e figuras a serem executadas em competições.

O início das instruções de acrobacia estão previstas para o início de março deste ano.


Juliana e Pedro, os instrutores de acrobacia da EJ.

Publicado em 03/01/2018


Vídeo: conheça nossos aviões,
simuladores, infraestrutura e saiba
mais sobre a nossa escola

Confira o vídeo


    Mural Informativo


  • Instrutores EJ fizeram dobradinha no campeonato brasileiro de acrobacias

    Pedro Anunciação e Juliana Fraschetti conquistaram o primeiro e segundo lugar, respectivamente, no campeonato Brasileiro de Acrobacias Aéreas, que ocorreu na AFA - Academia da Força Aérea, em Pirassununga, entre os dias 12 e 14 de Julho/18. Os dois são instrutores do curso de acrobacia aérea da EJ e dão aulas no Super Decathlon da escola. Eles participaram da Categoria Sportsman, a mais competitiva do Brasil. Ao todo, a competição contou com nove competidores na categoria. No ano passado os dois competiram na categoria Primary, a categoria de entrada, no Campeonato Brasileiro, onde Juliana conquistou o título de Campeã brasileira e Pedro vice. Agora houve uma inversão de posições. Com a conquista no ano passado, Juliana foi a primeira mulher em 72 anos a ser campeã de acrobacias no país, sendo a anterior, a pioneira Joana Castilho, que venceu uma competição na década de 40. Pedro voou o modelo Super Decathlon e Juliana o biplano Pitts S-2C, ambos de fabricação norteamericana. Como funcionam as competições Os campeonatos de Acrobacia tem julgamento técnico, onde todos os pilotos executam suas sequencias. Os juízes ficam no solo e contam pontos por ângulos das manobras, rotações, linhas e proas. A competição foi organizada pela CBA - Comitê Brasileiro de Acrobacia e Competições Aéreas. O box acrobático é uma caixa virtual com 1 km de altura, de largura e de profundidade onde os pilotos executam suas manobras seguindo o Código Aresti, padrão da FAI - Féderation Aéronatique Internationale, que é o método de catalogar e julgar as figuras acrobáticas, introduzido no primeiro campeonato mundial, em 1960, na Checoslováquia, inaugurando a era moderna da acrobacia aérea, de precisão. A EJ, com muito orgulho, parabeniza a dupla de instrutores. Resultados Pedro Anunciação (EJ) - 86,23% Juliana Fraschetti (EJ) - 84,73% Abdul Pollmann (Paraná) - 80,70% William Rambo (Mato Grosso)- 80,58% Skzypek (Rio Grande do Sul) - 79,60% João Fernandes (Rio de Janeiro) - 78.13% Paulo Tomasetto (Rio Grande do Sul) - 77,39% Thiago Sabino (São Paulo) - 70,28%

  • Lucas Dias, instrutor da EJ Jundiaí, é contratado pela aviação executiva

    Quando adolescente pensava em ser médico, mas morando perto dos aeroportos de Campo de Marte e de Guarulhos, em São Paulo, sua cidade natal, não se furtava em olhar para o céu e ver os aviões em operações nos dois aeroportos. “Isso me despertou uma curiosidade e comecei a pesquisar sobre os modelos e cias aéreas, até que essa curiosidade se tornou uma vontade enorme de estar lá dentro desses pilotando”, explica Lucas Batista Dias, 22, recentemente contratado para voar na aviação executiva. Antes de atingir a maioridade, decidido, iniciou o curso teórico no Aeroclube de São Paulo para passar na prova da ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil. Com a aprovação em mãos, apoio moral e financeiros dos pais, dirigiu-se a EJ Jundiaí para iniciar seu curso de piloto privado prático, onde começou já a voar alguns meses antes de completar dezoito anos. (O regulamento permite que o aluno faça até 15 horas de voo antes da maioridade). “Eu nunca tinha voado antes em uma aeronave de pequeno porte, porém quando decolei já tive a certeza mais do que absoluta de que era isso que eu queria”, relembra Lucas que logo após formado em piloto privado, encontrou uma oportunidade para trabalhar nas operações da EJ Jundiaí. Trabalhar em operações foi uma oportunidade de pagar os cursos seguintes com o próprio esforço. “Meus pais sempre me ensinaram e cobraram isso, minha independência financeira, para que eu sempre pudesse dar muito valor a cada centavo gasto”, afirma Lucas que trabalhou na EJ/operações por quase três anos e sempre era um dos primeiros a chegar, pelo menos uma hora e meia antes dos primeiros voos, onde abria os hangares, tirava os aviões para o pátio, organizava as documentações de cada um dos voos da escola, além de lavar os hangares, limpar aviões e auxiliar alunos e clientes com os planos de voo, entre outros trabalhos administrativos. “Trabalhar em operações me proporcionou conhecer a aviação por outro ângulo. Eu nunca imaginei que poderia haver tantos procedimentos por trás de um voo. Isso me trouxe uma experiência inimaginável, sou muito grato por está oportunidade.”, explica. No início de 2017, formado no restante dos cursos até instrutor de voo, teve a oportunidade de iniciar como instrutor de voo da unidade Jundiaí. “O que posso dizer é que a aviação é um eterno aprendizado, como instrutor eu aprendi muito, diversas vezes os alunos acham que só eles estão ali aprendendo, mas na verdade nós também estamos. Estude muito, tenha Fé e jamais desista, porque quando a oportunidade chegar, tu tem que estar preparado”. Na unidade Lucas voou o Cessna 152, o 172 e Tupi, além de fazer alguns voos de Baron G58 e Corisco como freelance da aviação executiva. Em pouco mais de um ano ele fez cerca de 600 horas voo como instrutor, somando pouco mais oitocentas com os voos extras. Dias agora foi contratado para ser copiloto de Citation M2 na aviação executiva. “Estou em uma fase de aprendizado, pois nunca tinha voado uma aeronave a jato antes. Estou aprendendo muito com esta operação diferenciada, pois esta aeronave voa no FL410”, explica. “Quando tu atinge teu objetivo, tu vê que todo o esforço valeu”, resume Lucas sobre sua jornada de quatro anos de aviação. A EJ deseja boa sorte para Lucas em sua carreira.

  • Resultado do Processo Seletivo do curso Superior de Pilotagem Profissional de Aeronaves

    A EJ Escola Superior de Aeronáutica oferece o curso de Pilotagem Profissional de Aeronaves. É um curso de graduação de nível superior já devidamente aprovado pelo MEC - Ministério da Educação. Será realizado no Campus EJ Itápolis, onde também são oferecidos todos os cursos práticos para quem deseja ser tornar piloto profissional. Desde o piloto privado, passando pelo comercial, e especializações como Upset Recovery e Jet Training. Abaixo segue o resultado do processo seletivo, realizado no dia 01/07/2018: N° Inscrição.       Nome                                                               Situação 31401                   Antônio Mário Rinaldi                                      APROVADO 31402                   XXXXXXXXXXXXXXXX                                  AUSENTE 31403                   Felipe Urritia Lamberti                                     APROVADO 31404                   Felipe Mateus Rinheiro dos Santos Rizzatto  APROVADO 31405                   Weslley Munhoz Cardoso                               APROVADO 31406                   Luis Fernando dos Santos Farias da Silva     APROVADO 31407                   Davi Barbosa Liscio                                         APROVADO 31408                   Emanuel de Aguiar Duarte                              APROVADO 31409                   Eduardo Pierobon Plastina                             APROVADO 31410                   Caio Fernandes de Matos Rodrigues             APROVADO 31411                   Antonio Jorge de Souza Neto                         APROVADO 31412                  José Felipe Araujo Françoso                           APROVADO 31413                  Bruno Eduardo Gott                                         APROVADO 31414                  Jonatan Henrique Roque                                 APROVADO 31415                  Lucas Vaz Trindade                                          APROVADO 31416                  Leonardo Venturini Filho                                  APROVADO 31417                  Rafael Lourenço de Castro Santos                  APROVADO 31418                  Josué Fernando Lazarino Coelho                    APROVADO 31419                  Luiz Grossi Neto                                               APROVADO 31420                  Raphael Agostinho Porto                                 APROVADO 31421                  XXXXXXXXXXXXXXXX                                   AUSENTE 31422                  Lany Caroline Amorin Rodrigues                     APROVADO 31423                  Erick Antonius Krabrbrenlong                          APROVADO 31424                  XXXXXXXXXXXXXXXX                                   AUSENTE 31425                  Marcelo Manno de Oliveira                              APROVADO 31426                  XXXXXXXXXXXXXXXX                                   AUSENTE 31427                  Daniel Martins Casimiro                                   APROVADO 31428                  Breno Horn                                                       APROVADO 31429                  Jonatas de Almeida Proença                           APROVADO 31430                  Ricardo Miranda Rodrigues                             APROVADO 31431                  Guilherme Vilela Starling                                 APROVADO 31432                  Matheus Pozza Negrão Fernandes                 APROVADO 31433                  Amanda Machado Oliveira                              APROVADO 31434                  Isadora Broseghini Costa                                APROVADO 31435                  Marcelo José Simões Grohman                      APROVADO 31436                  Leonardo da Costa Rocha                              APROVADO 31437                  Nilson Marcos de Oliveira Dorta Junior           APROVADO 31438                  Bruno Schio JacintoA                                      APROVADO 31439                  XXXXXXXXXXXXXXXX                                  REPROVADO As matrículas serão realizadas de 09 a 13 de julho de 2018 na secretaria da EJ, conforme instruções do edital da EJ Escola Superior de Aviação - clique aqui para acessar o Edital. Agradecemos a todos os participantes do processo seletivo e parabenizamos os aprovados. Voe mais alto.

Homologação ANAC
Número 051

DOU 03/05/18

QUALIDADE
ISO 9001:2008

Tel.: Itápolis-SP: 55 16 3263-9160 - Jundiaí-SP 55 11 4815-1984

São Paulo-SP 55 11 3459-5233 - Campo Verde - MT 55 66-3419-1510